#Notícias Unitoledo
 
 

UniToledo apoia campanha “Novembro Azul”

Mariana Páscua

Após o mês de luta contra o câncer de mama no apoio à campanha “Outubro Rosa”, o UniToledo abraça também a causa “Novembro Azul”. Desta vez a luta é contra o câncer de próstata, o tumor que afeta a glândula localizada abaixo da bexiga. Depois do câncer de pele, este é o mais frequente entre os homens.

Como instituição humanizada, no mês de novembro, o Centro Universitário Toledo traz informações relevantes na luta contra a doença. De acordo com o coordenador do curso de Fisioterapia UT, Flávio Pulzatto, no ano de 2018 estima-se que surgiram mais de 68 mil novos casos da doença que é a segunda maior causa de morte de homens no Brasil.

SINTOMAS

O coordenador afirma que em alguns casos, o câncer de próstata pode se desenvolver ao longo da vida sem apresentar sinais ou sintomas. Porém, quando estes surgem, podem ser: dificuldade de urinar; demora em começar e terminar de urinar, presença de sangue na urina, diminuição do jato de urina e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

PREVENÇÃO

Sobre a prevenção, Pulzatto ressalta a importância de uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos, cereais integrais e com menos gordura, principalmente as de origem animal. Assim o risco do câncer é diminuído, como também de outras doenças crônicas não transmissíveis.

“Outros hábitos saudáveis são recomendados neste caso, como fazer no mínimo30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar”, afirma o docente.

FATORES DE RISCO

Pulzatto deixa o alerta em questão dos fatores de riscos que podem aumentar as chances de um homem desenvolver câncer de próstata. São eles:

Idade: O risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.

Histórico de Câncer na Família: Homens cujo pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco.

Sobrepeso e Obesidade: Estudos recentes mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado.

FIQUE ATENTO AO DIAGNÓSTICO

Pulzatto afirma a importância da realização de campanhas como o “Novembro Azul”, principalmente para que os homens que apresentem qualquer sintoma possam procurar um especialista na busca do diagnóstico precoce, o que faz toda a diferença para o sucesso do tratamento.

“Vale lembrar que os sintomas referidos também podem indicar uma doença benigna da próstata, não necessariamente um câncer, porém somente os exames solicitados pelo médico podem fechar o diagnóstico”, finaliza.

Edição: André Ferreira