#Notícias Unitoledo
 
 

Outubro Rosa: UniToledo apoia mês de conscientização à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama

Mariana Páscua

Durante o mês de outubro é realizada a campanha de conscientização e apoio à prevenção do câncer de mama “Outubro Rosa”, na intenção de alertar a sociedade sobre a importância do autoexame e diagnóstico precoce da doença, uma vez que no estágio inicial, o câncer de mama é assintomático. A primeira ação em apoio ao Outubro Rosa no Brasil ocorreu no ano de 2002, no Parque Ibirapuera, desde então, iniciativas em prol ao movimento tornaram-se cada vez mais frequentes.

O UniToledo, como instituição humanizada, não só apoia a campanha com iluminação cor-de-rosa e banners sobre a importância do autoexame e prevenção, mas traz informações uteis para a sociedade em um bate-papo com a Docente Andreia Mitidieri. 

De acordo com a docente, o câncer de mama é o tipo de doença mais comum nas mulheres brasileiras, ficando atrás somente do câncer de pele não melanoma. Ele é causado pela multiplicação desordenada e de forma anormal das células contidas na mama gerando a formação de um tumor.

“A doença pode evoluir de diferentes formas, portanto é necessário se atentar aos sinais e sintomas. Embora raro, o câncer de mama também pode acometer homens.”

SINTOMAS

Sobre os sintomas, Mitidieri afirma que estes podem ser variados e nem sempre característicos. O alerta é válido para qualquer alteração identificada na mama. De acordo com a professora, a literatura cita a apresentação de um nódulo (caroço) fixo, percebido durante a palpação, que pode ou não ser doloroso. Além disso, qualquer outra alteração como: desvio do bico do seio, retração da pele (aspecto de casca de laranja), saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos, pequenos nódulos na axila ou pescoço, vermelhidão na pele da mama que pode ser local ou difusa, ou mesmo feridas aparentes podem indicar a necessidade de uma avaliação clínica criteriosa para investigar a possibilidade de câncer de mama.

PREVENÇÃO

“A melhor forma de prevenção é realizar o autoexame! Cada mulher conhece seu corpo e características, portanto a palpação da mama sendo realizada de forma rotineira pode detectar de forma precoce qualquer alteração. A visita anual ao ginecologista também é importante, uma vez que as mulheres jovens podem acompanhar a mama com exames de ultrassonografia” afirma.

A docente ressalta que o Ministério da Saúde recomenda que mulheres entre 50 a 69 anos de idade sejam submetidas ao exame de mamografia de rastreamento em uma média de 2 anos. Para isso, é necessária a avaliação de um médico ginecologista ou mastologista.

“A detecção precoce do câncer de mama se faz necessária para um melhor prognóstico quanto à resposta aos tratamentos da doença. É importante haver apoio à campanha OUTUBRO ROSA não somente dos profissionais da saúde, mas de toda população, para que se possa conscientizar ainda mais as pessoas sobre a importância de se auto examinar a fim de detectar a doença antes que se encontre evoluída. Muitas mulheres têm receio de realizar o autoexame e descobrir que apresenta um tumor maligno de mama, mas é importante considerar a taxa de recuperação de mulheres que descobrem o câncer em estágio inicial”, comenta Mitidieri.

 

VOCÊ SABIA?

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados por meio da inserção de hábitos saudáveis como praticar atividade física, alimentar-se de forma saudável, manter o peso corporal adequado, evitar o consumo exagerado de bebidas alcoólicas, amamentar e evitar o uso de hormônios sintéticos (anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal).

Em casos em que descubra o câncer de mama, não se desespere, existe tratamento e apoio interdisciplinar (fisioterapia, psicologia, educação física, nutrição), caso você tenha qualquer dúvida a respeito de como realizar o autoexame, busque informações na Clínica de Fisioterapia UNITOLEDO. Estaremos à disposição para auxiliar a todos, não somente em Outubro, mas em todos os dias do ano, afinal a prevenção não tem dia nem mês certo para ser enfatizada!

Edição: André Ferreira