Robótica permite aos alunos do Colégio Toledo aprimorarem competências para o mercado de trabalho

Verônica Martin

Com o advento da tecnologia as unidades escolares e o mercado de trabalho se tornaram cada vez mais exigentes, a sala de aula tradicional, mesmo que ainda muito usada e importante, abriu espaço para metodologias inovadoras que acompanhem as inovações. A incorporação de aulas de robótica para o ensino médio é um exemplo.

Segundo o coordenador do Colégio Toledo, Thiago Zambom, as aulas da disciplina estão presentes na grade curricular do aluno e proporcionam, ao olhar pedagógico, dinamicidade às aulas, promovendo um maior interesse por parte dos alunos com as aulas e maior participação dos mesmos.

As aulas de robóticas do Colégio Toledo também promover a interdisciplinaridade. O modo de ensino-aprendizagem visa a interação entre disciplinas. O conhecimento prévio adquirido nas aulas das áreas de exatas serve como base para transformar em realidade através dos robôs montados e programados pelos alunos. As aulas de robótica do são aplicadas aos alunos a partir do 1º ano do ensino médio. As atividades são aulas quinzenais e ministradas pelo professor Luis Pedro Martins, formado em Matemática.

LINGUAGEM
“Os alunos são submetidos a uma outra linguagem – ou seja, script mais avançado (Java / C++). Pensando na física, a programação dos robôs para seguir comandos de movimentos, trabalhando com a cognição incorporada dos alunos, uso de sensores, senso de direção e alcance”, afirma Martins. Segundo ele, na matemática, há a execução da linguagem, uso de equações e planejamento. “Compreendendo a ciência biológica, os protótipos podem ser, futuramente, revestidos por materiais que simulem animais ou ‘pele’ dos quais necessitarão de conhecimentos mais avançados dos alunos.”

Martins explica que as aulas são um método de vivência lúdica, onde os alunos aprendem “brincando”, despertando a criatividade para desenvolver as propostas das aulas. “Os alunos são indagados quanto à experimentação, construção, reconstrução, observação e análise tornando a aprendizagem mais efetiva”, esclarece o professor.

Os estudantes são desafiados a pensar em soluções criativas para problemas do cotidiano. Eles podem simular terrenos ou locais para aplicar os protótipos que os grupos criaram, por meio das maquetes produzidas por materiais reciclados.

FORMAÇÃO DE COMPETÊNCIAS
As aulas de robótica proporcionam aos alunos ampliação de seus conhecimentos e aprimoramento de competências e habilidades que estão cada vez mais sendo exigidas para o mercado de trabalho. Além do perfil técnico, formado por conhecimentos técnicos e teóricos, é preciso que tenha o perfil comportamental necessário.

De acordo com o Martins, as aulas de robótica despertam nos alunos autonomia, liderança de equipes e trabalho em equipe. O aluno se torna o protagonista do próprio ensino, uma tendência mundial que está ganhando espaço cada vez mais. O professor continua atuando de forma crucial, mas exercendo o papel de moderador norteador.

COMPETIÇÕES
Os alunos do Colégio Toledo também participam de competições e exposições relacionadas com a matéria. Luis Martins afirma que a participação dos alunos em eventos do gênero pode estimular e fortalecer o princípio de que o conhecimento é construído de forma intuitiva e colaborativa.

“O campeonato que participamos em Americana é um exemplo. Ele permitiu uma percepção nítida de que existem inúmeros desafios, sinalizando aos alunos que existe uma mão dupla entre o ensinar e o aprender”. A multidisciplinariedade estimulada nas aulas de robótica permite também que possam ser abordados diversos temas, como arte, matemática, questões sociais e engenharia.